Álvaro Quintão, presidente do Sindicato dos Advogados-RJ

O presidente do Sindicato dos Advogados-RJ, Álvaro Quintão, denunciou hoje (8), ao site Diário do Poder, que o presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz, gastou R$120 mil dos cofres da entidade na confecção de 17 mil agendas para distribuição aos advogados inscritos na OAB do Pará.

DO SITE DIÁRIO DO PODER (08/01/2018):

O presidente do Sindicato dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro, Alvaro Quintão denunciou hoje (8) que o presidente da OAB do seu estado, Felipe Santa Cruz, gastou R$120 mil dos cofres da entidade na confecção de 17 mil agendas para distribuição aos advogados inscritos na seccional, mas do Pará. “Essa atitude é um escândalo porque os advogados do Rio pagam uma das mais caras anuidades do pais e o dinheiro suado desse mesmo advogado vem sendo utilizado para Santa Cruz ganhar o apoio dos demais dirigentes para um projeto pessoal que é de se eleger presidente do Conselho Federal da entidade”, afirmou Quintao.

O presidente do Sindicato dos Advogados lamentou que Santa Cruz utilize os recursos obtidos com as anualidades dos advogados para atingir projetos de interesse estritamente eleitoral. Quintão lembrou que recentemente o Sindicato dos Advogados divulgou os gastos milionários da OAB-RJ com contratos com empresas de serviços que a maioria da categoria não tinha o mínimo conhecimento. “Um gasto milionário e desnecessário que tem um único objetivo: o cargo de presidente nacional da entidade”.

Impressionados com a atitude da OAB-RJ, a corregedora da Seccional do Pará e outros conselheiros estaduais da entidade irão protocolar uma representação no Conselho Federal da OAB contra os presidentes da Seccionais do Pará,  Alberto Campos e do Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz. No documento, os advogados vão pedir a punição disciplinar e a inelegibilidade dos dois para concorrerem a qualquer cargo da OAB nas próximas eleições.

 Nota fiscal confirma o pagamento à OAB Pará

O ex-presidente da OAB do Pará e atual conselheiro federal, Jarbas Vasconcelos também ficou impressionado com a atitude de Santa Cruz. “Quem quer ser candidato a presidente nacional da OAB deve dar o exemplo. A doação de 17 mil agendas a advogados paraenses pela seccional da OAB carioca não tem previsão legal”. Segundo Vasconcelos, o ato só encontra explicação no fato de Felipe Santa Cruz ser candidato a presidente do Conselho Federal da entidade maior dos advogados.

A eleição para o Conselho Federal é indireta e a possível compra de voto, de um presidente de seccional por outro, deve ser apurada, pois se verdadeira, o sistema deverá ser revisto, concluiu Jarbas Vasconcelos.

A OAB-RJ ainda não se manifestou sobre a denúncia.

Leia a notícia no site original: https://goo.gl/s8L9Eq

Em nota, o ex-presidente da OAB Pará critica, duramente, postura de presidentes das seccionais do Rio e do Pará no caso da compra das 17 mil agendas: https://goo.gl/e52aug