Presidente do Sindicato dos Advogados-RJ, Álvaro Quintão

 

O presidente do Sindicato dos Advogados-RJ, Álvaro Quintão, protocolou, na semana passada (23/01), na Corregedoria do Conselho Federal da Ordem, uma representação contra a OAB/RJ onde requer que sejam investigadas as doações feitas pela OAB-RJ às seccionais do Pará e Ceará.

No dia 21/01, o site Focus denunciou que “a OAB-CE deve receber a ajuda da OAB-RJ para mobiliar a sede que está sendo concluída, na avenida Washington Soares. A informação foi dada pelo secretário-geral da entidade, advogado Fábio Timbó, em reunião do Tribunal de Defesa das Prerrogativas dos Advogados e confirmada pela Assessoria de Comunicação da entidade” – leia sobre isso aqui.

Antes, no dia 8 de janeiro, Álvaro Quintão denunciou ao site Diário do Poder que a OAB-RJ gastou R$ 120 mil dos cofres da entidade na confecção de 17 mil agendas para distribuição aos advogados inscritos na OAB do Pará – leia sobre isso aqui.

Na representação apresentada ao Corregedor do Conselho Federal Dr. Ibaneis Rocha Barros Junior foi requerido que essas operações entre as seccionais sejam investigadas, Álvaro afirma: “Para que haja repasse de valores de uma seccional para outra, é necessário que este repasse seja previamente apreciado pelo Conselho Federal da OAB, pois assim está estabelecido no §5º, do artigo 56, do Regulamento Geral da OAB”.

Além disso, Álvaro também afirma: “O que se percebe é uma movimentação anormal do atual Presidente da OAB/RJ pelo Brasil. (…) Nesse contexto, torna-se robusta a possibilidade do atual Presidente da OAB/RJ estar utilizando-se da entidade a qual preside para alavancar sua pré-campanha ao Conselho Federal”.

Na mesma linha de defesa da probidade nas aplicações dos recursos oriundos das contribuições dos advogados cariocas, Álvaro também requereu através da representação que sejam auditadas todas as despesas com viagens (passagens aéreas e diárias em hotéis) autorizadas pela OAB/RJ, seja para seu Presidente, diretores, conselheiros, funcionários ou até terceiros, eis que também ganhou publicidade o fato de viagens de pré-campanha pelo Brasil estarem sendo custeadas pelo orçamento da OAB/RJ.

Leia a seguir o pedido feito por Álvaro Quintão à Corregedoria da OAB Federal: